O OURIVES INQUIETO: “OURO DE TOLO” NA METAMORFOSE RAUL

O artigo do Prof. Dr. Ravel Giordano Paz realiza uma análise melopoética da canção “Ouro de tolo”, de Raul Seixas, buscando avaliar a coerência interna de seus elementos temáticos e formais no âmbito dos impasses existenciais e ideológicos que alimentaram a vida e a obra do cantor e compositor brasileiro. Com esse objetivo, esboça uma aproximação com outras canções de Raul, principalmente “Metamorfose ambulante”, valendo-se ainda de diversos elementos apresentados no documentário Raul: o início, o fim e o meio, de Walter Carvalho. Download

Ouro de Tolo

A letra de Ouro de Tolo, por ser escrita em primeira pessoa, chama a atenção do público, que se identifica com o eu lírico, sendo que tudo que é falado pode ser dito do ouvinte e pelo ouvinte. O eu lírico, autocrítico, percebe em sua própria voz marcas e limites que remetem à sua inserção no sistema contra o qual quer cantar.

O título da canção faz referência à pirita, mineral de pouco valor que por apresentar coloração dourada e brilho metálico é conhecido popularmente como “ouro de tolo”. O nome popular do minério pode ser lido como uma metáfora para a sedução do consumo que ilude a população com a promessa de ascensão social. As classes médias comem alpiste e se veem anuladas em face do poder econômico das classes dominantes.

Outra interpretação possível para o título é apresentada por Luiz Lima. Segundo o historiador, “ouro de tolo” era o nome que se dava, na Idade Média, às falsas promessas de pseudoalquimistas que prometiam fabricar o metal precioso. Por outro lado, na linguagem simbólica dos autênticos alquimistas, a transformação de outros metais em ouro era uma metáfora para a transformação espiritual do ser humano, de um estado energeticamente pesado, o “chumbo”, para outro, de iluminação, o “ouro”.

A canção parece exprimir a tensão existencial do compositor diante do caráter contraditório da vida na sociedade de consumo. O brasileiro, desprovido de liberdade ou de direitos de cidadania, é coagido a “vencer na vida”, satisfazendo-se com o consumo de casa própria, carro do ano, eletrodomésticos e outros bens. A composição apresenta essa coerção e, na penúltima estrofe, mostra a passagem do estado passivo do eu lírico à sua tentativa de resistência ao status quo.

“Ouro de Tolo” transmite inconformismo diante do modo de vida constituído a partir das conquistas capitalistas. A canção não procura confrontar os valores dominantes a outros sustentados nos mesmos princípios, como se estivesse engajada na luta por uma sociedade mais “justa”, em que todos tivessem direito a emprego com um salário adequado à vida nessa mesma sociedade.

Ao contrário disso, a letra ironiza os costumes e crenças da sociedade de consumo, disparando chistes contra os valores mais prezados pelo conservadorismo da época: o Deus-Pai que faz concessões, o ufanismo pela pátria amada, a família vista como célula do organismo social e, claro, o consumo como um direito adquirido.

A canção oscila entre o tom melancólico e o eufórico. Pelo primeiro, apresenta descrença em relação ao desenvolvimentismo. Através do segundo, cria um distanciamento em relação à ilusão do “milagre brasileiro”, operando-se a possibilidade de uma ruptura com o Monstro SIST e a instauração de uma Sociedade Alternativa.

Chato, inoportuno, assim devia ser visto o cantor-compositor pela classe-média, fascinada com as belezas naturais (praia), as novidades tecnológicas (carro do mês), a indústria cultural (jornal) e o lazer (tobogã e zoológico).

A última estrofe da canção, por mencionar um disco voador, é a mais alegórica e polissêmica. Faremos duas leituras possíveis. Em primeiro lugar ela nos remete ao escapismo místico contemporâneo. A contemporaneidade é impregnada de misticismo esotérico, uma busca de proteção contra os malefícios da razão instrumental. Há a crença num mundo reencantado, habitado por seres mágicos, miraculosos, guiados por forças sobre-humanas e energias incompreensíveis ao entendimento racional.

As espaçonaves que transportam seres de outros planetas ou de outras dimensões são uma conhecida crença da contracultura. Muitos membros de movimentos alternativos acreditam que os discos voadores trazem mensagens de salvação para a humanidade e alguns de seus líderes afirmam até já terem entrado em contato com os extraterrestres.

Raul Seixas, imerso na contracultura, poderia realmente acreditar na existência de OVNIS, como declarou em entrevista a O Pasquim em novembro de 1973. O cantor enfatizou que o disco voador era real e palpável, e que de sua visualização teria surgido a canção “Ouro de Tolo”. Ele contou que teria conhecido o futuro parceiro Paulo Coelho na então semideserta Barra da Tijuca, numa tarde em que os dois estavam lá meditando e presenciaram a aparição da espaçonave.

Por outro lado, a entrevista nos leva a pensar que a história do disco voador poderia ser uma estratégia de marketing de Raul Seixas. O jornalista de O Pasquim afirma que falar sobre disco voador estava na moda, e que estaria “todo mundo vendo disco voador de novo”. “Esse disco voador foi pras paradas de sucesso”, assevera o repórter.

Seja crença ou jogada promocional, o disco voador funciona como uma metáfora para o desejo de sair do mundo capitalista em direção a uma sociedade alternativa. Nesse sentido, a metáfora da espaçonave indica que o verdadeiro ouro estaria no despertar da consciência individual, visando à passagem para o Novo Aeon – a Sociedade Alternativa.

Referências:

CEI, Vitor. Novo Aeon: Raul Seixas no torvelinho de seu tempo

LIMA, Luiz. Vivendo a Sociedade Alternativa: Raul Seixas no panorama da contracultura jovem

Vídeo

Seven Is A Magic Number

“Esse caos vigente vem vestido assim num trem. E quem não pegar esse trem agora tá fodido”, discursou Raul, em tom profético, antes de cantar “O Trem das 7” durante show em Brasília, no ano de 1974

Por que um trem das 7 horas? O sete, por estabelecer uma série de referências, é considerado pelos místicos um número mágico. Listemos os principais fatos com os quais o sete se relaciona. Como Raul canta em “Os números”, escrita em parceria com Paulo Coelho:

Meus amigos esta noite

Tive uma alucinação

Sonhei com um bando de número invadindo o meu sertão

Vi tanta coincidência

Que eu fiz esta canção

[…]

Agora o Sete

Sete dias da semana

Sete notas musicais

Sete cores no arco-íris

Das regiões divinais

E se pinta tanto o sete

Eu já não aguento mais

[…]

E como se pinta tanto sete, mencionemos apenas mais alguns outros. Sete são as cores refratadas pelo prisma: violeta, amarelo, anil, verde, laranja, azul e vermelho.

Eram sete as maravilhas do mundo antigo: Pirâmide de Gizé, Jardins Suspensos da Babilônia, Farol de Alexandria, Colosso de Rodes, Mausoléu de Halicarnasso, Estátua de Zeus em Olímpia e Templo de Ártemis em Éfeso.

Existem sete artes, cada uma delas caracterizada pelos elementos básicos que formatam sua linguagem: música (som), pintura (cor), escultura (volume), arquitetura (espaço), literatura (tempo/palavra), coreografia (movimento) e cinema (integra os elementos das artes anteriores).

Sete são os pecados capitais: soberba, avareza, luxúria, inveja, gula, preguiça e ira. Por outro lado, sete são os sacramentos da Igreja católica: batismo, confirmação, eucaristia, penitência, unção dos enfermos, sacerdócio e matrimônio.

A canção apresenta o Trem das 7 com o o veículo mágico da mudança de direção espiritual, da transformação dos indivíduos a caminho do Novo Aeon.  Trazendo de tempos longínquos as cinzas do Velho Aeon, o trem terá como passageiros todos aqueles que tiverem um olhar novo para ver a “nova era”que se inicia.

Leia mais no livro Novo Aeon: Raul Seixas no torvelinho de seu tempo.

 

Domínio Público

A dissertação de mestrado Novo Aeon: Raul Seixas no torvelinho de seu tempo, defendida em 21 de agosto de 2009 no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Espírito, está disponível para download gratuito no Portal Domínio Público. Baixe, leia e, se gostar, recomende aos amigos. Se achar queo texto merece uma releitura, adquira o livro Novo Aeon: Raul Seixas no torvelinho de seu tempo (Editora Multifoco, 2010) que oferece uma versão revisada e atualizada da dissertação, além de contar com prefácios dos professores Sérgio da Fonseca Amaral e Wilberth Salgueiro.

Resumo: O assunto que nos convida e reúne a pensar é a concepção de Novo Aeon apresentada pelo compositor Raul Seixas, refletindo sobre sua constituição histórica, seus valores e conseqüências para a sociedade pós-moderna. Elaborada pelo escritor inglês Aleister Crowley no início do século XX, esta doutrina impulsionou trajetórias existenciais de grande força contestatória, influenciando a contracultura das décadas de 1960 e 1970. Raul Seixas, que acompanhou o movimento, fez de sua criação poética o espírito de seu tempo. Nesse sentido, nosso objetivo geral é compreender o que é o Novo Aeon, revelando sua interseção com o pósmodernismo, tal como pensado por Fredric Jameson. Como objetivos específicos, propomos compreender as concepções de Velho Aeon e modernidade em suas relações com os conceitos supracitados. Nesse diálogo com Seixas, nos dedicamos a ver em sua obra ressonâncias das questões que animaram seu tempo: ocultismo, desbunde, indústria cultural, autoritarismo, censura, niilismo e melancolia.

Baixe aqui.

Por que eu quero ganhar um exemplar do livro #NovoAeon: #RaulSeixas no torvelinho de seu tempo?

Taynã Gonçalves
@taynangoncalves Taynã Gonçalves

#NovoAeon Porque aprender um pouco mais sobre Raulzito, nunca é de mais!!! #Cultura
Taynã Gonçalves
@taynangoncalves Taynã Gonçalves 

#NovoAeon Porque sou Fã, e chega de clichê sobre Raulzito!!!
________________________________________________________________________________
Professor Adail
@Professor_adail Professor Adail 

Você Deveria presentear o professor com este livro.Poderia muito bem divulgar nas escolas.
________________________________________________________________________________
Subindo no Caixote
@Subindo_Caixote Subindo no Caixote 

#NovoAeon é um livro que dá asas às suas idéias! Eu quero ler e subir no caixote! #TocaRaul
________________________________________________________________________________
Taynã Gonçalves
@taynangoncalves Taynã Gonçalves
#NovoAeon Não escrevi o meu ainda, mas quero o do Guru!!!
________________________________________________________________________________
Bruna Moraes
@bumoraes Bruna Moraes
Quero ganhar o livro #NovoAeon pq Raul é peça fundamental na minha iniciação aos conhecimentos da Nova Era.
________________________________________________________________________________
Amanda Cei
@esquizobijus Amanda Cei
Não vou concorrer pq né, ganhar sorteio do irmão vai parecer marmelada. Então, aproveitem aí! ##troqueoBBBporumLivrohttp://bit.ly/gPw7Rv
________________________________________________________________________________
Mª Verônica Silva
@veronic_silva Mª Verônica Silva
Estou ‘Tentando outra vez’: O livro #NovoAeon do Prof. @Vitor_Ceiserá sorteado no dia 23/01… Dia do meu aniversário! Que presente seria!
________________________________________________________________________________
Taynã Gonçalves
@taynangoncalves Taynã Gonçalves 

#NovoAeon Quero ganhar porque sou Raulseixista e não desisto NUNCA!!!
________________________________________________________________________________
PRISCILA PERIM
@PRISTP PRISCILA PERIM 

Eu troco: eu mando um livro e, em troca, eles me mandam o Rodrigão!
________________________________________________________________________________
Jomar Brittes
@jomarkarrasco Jomar Brittes
Eu quero mesmo é ganhar o #NovoAeon , porque dentro do livro e da consciência está o segredo do universo. (agora ta certo)
________________________________________________________________________________
Mª Verônica Silva
veronic_silva Mª Verônica Silva 

@É incrível observar que pra onde vou e tem uma banda tocando sempre tem alguém pra gritar ‘Toca Raul’. Quem gosta pede! Quero ler #NovoAeon!
________________________________________________________________________________
Tukano666  Lucas
@Tukano666 Tukano666 Lucas
Vitor_Cei quero ganahr o #NovoAeon #RaulSeixas pq a semente que ele ajudou a plantar ja nasceu, e ca estamos nos, cultivando-a
________________________________________________________________________________
Ivan Lacerda
@Ivanlacerda Ivan Lacerda
@Vitor_Cei acabei de dar um check-up geral na situação o que me fez querer ler #novoaeon e se ganhar o livro vou dormir quase em paz. abs.
________________________________________________________________________________
David G. Borges
@BadlyTempered David G. Borges
Quero o livro pq a primeira música que aprendi a cantar quando criança foi “O Carimbador Maluco”, e só quando adulto a entendi.
________________________________________________________________________________
Jomar Brittes
@jomarkarrasco Jomar Brittes
Eu quero mesmo é ganhar o #NovoAeon , porque dentro do livro e da coinsciência está o segredo do universo.
________________________________________________________________________________
David G. Borges
@BadlyTempered David G. Borges 

Mais motivos! Tá vendo? Mereço o livro. Outro bom motivo: te conheço há algum tempo e nunca li nada seu (nem lista de mercado).
_______________________________________________________________________________
LirioGuterra
@lirioguterra LirioGuterra 

Eu quero o livro porque vou ter Raul Seixas.
________________________________________________________________________________
Marlos Araújo
@MrMarlos Marlos Araújo 

Sem enfeite! Quero ganhar o #NovoAeon porque eu sou muito fã do Raul Seixas e ponto! #
________________________________________________________________________________
JC
@quotactions JC 

Minha vontade é ganhar o livro #NovoAeon para ler no Trem das 7. (E pra descobrir o que diabo é “torvelinho”).
________________________________________________________________________________
David G. Borges
@BadlyTempered David G. Borges
E isso não foi uma crítica, apesar do que pode parecer à primeira vista.
David G. Borges
BadlyTempered David G. Borges
Eu quero ganhar seu livro para entender como uma dissertação de mestrado sobre Raul Seixas foi aceita! Pode ser?
________________________________________________________________________________
Marlos Araújo
@MrMarlos Marlos Araújo 

Quero ganhar o #NovoAeon porque não basta idealizar o mundo dos meus sonhos, preciso tocá-lo e vivê-lo. #
________________________________________________________________________________
Clara Marinho ®
@ClaraMarinho_ Clara Marinho ®
@Vitor_Cei de tudo no currículo prefiro: Autor de Novo Aeon

Mini-curso

Novo Aeon: Raul Seixas no torvelinho de seu tempo

A proposta é pensar a concepção de Novo Aeon apresentada por Raul Seixas, refletindo sobre sua constituição histórica, seus valores e conseqüências. Elaborada por Aleister Crowley no início do século XX, esta doutrina impulsionou trajetórias existenciais de grande força contestatória, influenciando a contracultura das décadas de 1960 e 1970. Seixas, que acompanhou o movimento, fez de sua criação poética o espírito de seu tempo. Como objetivos específicos, propomos compreender as concepções de Velho Aeon e modernidade em suas relações com os conceitos supracitados. Nesse diálogo com Seixas, nos dedicamos a ver em sua obra ressonâncias das questões que animaram seu tempo: ocultismo, desbunde, indústria cultural, autoritarismo, censura, niilismo e melancolia.

Palavras-chave: Aeon • Autoritarismo • Desbunde • Pós-modernismo • Thelema

Data: 11 e 12 de novembro

Local: Universidade Federal do Espírito Santo

Inscrições gratuitas

 

Comentário de Gustavo Macaco

Meu velho… demais seu livro!! Já havia lido vários e esse tem realmente uma abordagem mais acadêmica e em cima de conceitos que abarcam um momento político, social, histórico e cognitivo. Lógico que teve coisas que queria poder conversar com você só pra questionar as “questões da academia” ahahahahaha!!! mas achei o todo muito bom mesmo!! Parabéns pela empreitada e vamos nos falar!!

Gustavo Macaco